22 março 2011

Ministério Público denunciou Ricardo Neis nesta segunda-feira

Atropelador de ciclistas responderá por 17 tentativas de homicídio

Ricardo Neis teve o habeas corpus negado pela Justiça - Genaro Joner / Agencia RBS

O funcionário do Banco Central, Ricardo Neis, que atropelou um grupo de ciclistas em 28 de fevereiro, responderá por 17 tentativas de homicídio triplamente qualificadas. O Ministério Público fez a denúncia nesta segunda-feira. Neis, que está atualmente no Presídio Central, em Porto Alegre, vai responder por crime praticado por motivo fútil, usando meio que resultou em perigo comum e com recurso que dificultou a defesa das vítimas, segundo a denúncia do MP.

Para a promotora de Justiça Lúcia Helena Callegari, ao acelerar seu automóvel contra as vítimas, Neis deu início ao ato de matar e causou lesões corporais comprovadas pelos boletins de atendimento médico. Segundo o MP, os ciclistas foram salvos pelo fato de estarem usando equipamentos de segurança e pelo pronto atendimento recebido.

Os crimes foram praticados por motivo fútil, pois ao acelerar mesmo com o grupo de ciclistas no caminho, o bancário teria demonstrando extremo egoísmo e individualismo, de acordo com a Promotora. O crime resultou em perigo comum por ter sido praticado em via pública. O MP destacou também que o recurso utilizado dificultou a defesa das vítimas, que foram atingidas pelas costas.

Fonte: Jornal Zero Hora