25 abril 2011

Bike Hanger (Bicicletário gigante)

Pode parecer engraçado ou, até mesmo, inviável para a realidade brasileira, mas não deixa de ser uma ideia bastante interessante. A Manifesto Architecture, uma empresa de arquitetura com base em Nova York identificou alguns problemas com relação aos bicicletários convencionais.

Primeiro: são insuficientes. 
Segundo: demandam muito espaço. 
Terceiro: esse espaço é muitas vezes tomado dos pedestres, principalmente em cidades grandes, com suas calçadas estreitas e tráfego de pessoas também intenso.


Pensou-se então em aproveitar espaços não utilizados normalmente, como paredes laterais de edifícios e espaços entre prédios. Diferentemente do padrão de bicicletários, as bicicletas ficam visualmente expostas, para melhor identificação. Um Bike Hanger comporta de 20 a 36 bicicletas: são poucas, mas sempre tem um espaço adequado entre elas de forma que as preserve mais.

Basta pedalar numa bicicleta estacionária geradora de energia para rotacionar o aparato. Essa seria toda a energia necessária, de acordo com os arquitetos, para fazer o Bike Hanger funcionar.


Mas daí, surgem alguns questionamentos:
Será que os mecanismos de segurança são suficientes?
E quanto à quantidade de bikes comportadas, será que vale a pena o custo-benefício?

Esse projeto foi desenvolvido especialmente para a cidade de Seul, onde inclusive recebeu prêmio de design em 2010.
E no Brasil? Será que o país encararia um projeto como esse, realizando essa mudança de estrutura, ou ficaria apenas com os bicicletários convencionais? É um projeto inovador e sofisticado ou fora da realidade brasileira pelo menos?
Caso queiram ver mais imagens e obter mais informações sobre o Bike Hanger, só acessar o Arch Daily (em inglês).

Fonte: Racquel Tomaz http://www.bemvindocicloturista.com.br/