05 setembro 2014

7 transformações em grandes cidades voltadas aos ciclistas

O número de bicicletas em nossas cidades está crescendo, e com este aumento também estão ocorrendo mudanças importantes na forma como as cidades são projetadas: engenheiros estão criando pontes, túneis, viadutos e mesmo escadas rolantes especialmente para os ciclistas. Estas medidas fazem com que o ciclismo realmente seja parte essencial e permanente da cidade.
Na semana passada, Copenhague anunciou uma ciclovia elevada na ponte de Oresund, que liga a cidade a Malmö, na Suécia. Ela é a segunda ponte mais longa da Europa e, com cerca de treze quilômetros de comprimento, provavelmente será a maior ponte dedicada a bicicletas no mundo. Isso não apenas é um grande avanço para os ciclistas da região, mas também para a saúde e bem-estar de todos os residentes.
À medida que o movimento da bike ganha impulso, provavelmente veremos cidades dedicando mais espaço e energia a estas impressionantes melhorias que tornam as ruas mais seguras para todos.

Ponte Cykelslangen – Copenhague, na Dinamarca

Esta ponte para bicicletas eleva-se sobre o porto da cidade e foi inaugurada no início deste mês. Ela é um conector de duas pistas, exclusivo para bicicletas, construído pensando na extensa rede de ciclistas de Copenhague. A Cykelslangen curva-se sobre a água com pistas largas, uma subida gradual e uma bela pavimentação laranja que proporciona bom contraste com ciclistas em movimento.

Túnel Lugaritz-Morlans – San Sebastian, Espanha

tunel de morlans
Em 2009, a cidade de San Sebastian converteu um antigo túnel ferroviário no maior túnel cotidiano de bicicleta do mundo. Com pouco mais de um quilômetro de comprimento, o túnel liga dois bairros que antes eram inacessíveis aos ciclistas de ambos os lados e a estrutura é voltada especialmente para aqueles que fazem esse caminho rotineiramente, para trabalhar ou estudar. Agora os ciclistas podem usar esta rota para chegar até mesmo à cidade vizinha, Bilbao.

Elevador Trampe CycloCable – Trondheim, Noruega

ciclistas 3
Para aquelas ruas assassinas de panturrilha, o que poderia ser melhor do que um elevador que dá aos ciclistas um pouco de impulso até o topo? Este elevador norueguês remonta a 1993, mas foi atualizado ano passado com um design que agora está sendo comercializado para outras cidades.

Escadas rolantes de bicicleta – Tóquio, Japão

ciclistas 4
Um conceito semelhante ao elevador de bicicleta são essas escadas rolantes de bicicleta, encontradas em estacionamentos e estações de metrô de Tóquio. A pista móvel para pneus dá um empurrãozinho extra para os pilotos enquanto andam com suas bikes pelas escadas. É um gesto simpático para os viajantes que vêm para casa do trabalho, já que a última coisa que eles querem fazer no final do dia é levar uma bicicleta por três lances de escadas – especialmente os que estão sobre saltos altos.

Hovenring – Eindhoven, Holanda

ciclistas 5
Não há muitos lugares que conseguiram integrar rodovias e ciclistas com sucesso, mas a Holanda encontrou uma solução. A Hovenring, que foi concluída em 2013, é uma plataforma de aço flutuante que permite que bicicletas trafeguem sobre a estrada movimentada. A estrutura resultante não é apenas útil, mas também absolutamente linda.

Estacionamento de bicicleta ECO – Tóquio, Japão


Como algo saído de um filme de ficção científica, esta garagem de bicicletas estaciona mecanicamente centenas de bicicletas no subterrâneo, economizando tempo dos transeuntes e espaço das cidades. Os usuários colocaram suas bicicletas em um espaço destinado a isso no topo da estrutura e passam seus cartões de sócio, enviando suas bicicletas abaixo do solo para armazenamento. No retorno, os usuários passam seus cartões novamente e sua bicicleta chega à superfície em cerca de oito segundos, como se fosse mágica.

Superciclovias – Londres, Reino Unido


Há uma abundância de ciclovias por toda a Europa, inclusive um renomado e imenso sistema em Copenhague, que permite aos ciclistas se deslocarem facilmente pela cidade. O mesmo conceito está sendo construído em Londres, ligando os subúrbios ao centro da cidade com rotas numeradas.
Texto: Jéssica Maes
Fonte: HypeScience