26 junho 2015

Ciclo Aterro ou Ciclovia da Alameda Pedro Coll Leite?

Clique para ver no mapa STRAVA.

   Esta semana, acompanhado pelo Sr. Vereador Edimar Fagundes Cardoso e pelo cicloativista Cristian Pimenta Becker, efetuamos uma visita técnica à Ciclovia da Alemeda Pedro Coll Leite, ciclovia esta que compartilhada com pedestres, utiliza a antiga estrutura da estrada férrea, interligando os moradores das proximidades da Associação Rural e Santa Thereza, ao centro de nosso município, onde vários pontos precários foram apontados e observados para que esta importante ligação, muito utilizada por estes moradores, e também por turistas que pedalam em nosso município, possam usufruir da mesma, com segurança e com um olhar positivo sobre o nosso município, o contrário do que está ocorrendo agora, como pode se observar nas fotos que seguem abaixo.


   Praticamente uma toca, esta pequena caverna entre as taquaras abriga usuários de drogas, dá destino à possíveis rotas de fuga e abriga mal intencionados que podem surpreender quem passa pelo local, efetuando rapidamente um assalto e fugindo por ali mesmo.

   Depósito de lixo e descarte indevido em meio à natureza, ocasionado provavelmente pelos próprios moradores da região, onde por má vontade ou falta de cultura de observar o descarte correto de seus resíduos, o descartam sem o mínimo de pudor à natureza, às margens desta ciclovia e consequentemente às margens do Arroio Bagé,
   A queimada em árvores nativas também pode ser observada na imagem.
   Às margens da ciclovia, destroços de carros, e antigas peças automotivas, que deveriam ter seu descarte realizado de forma correta, ou terem seu armazenamento realizado pelos proprietários são simplesmente abandonados, criando possíveis focos de mosquitos da dengue, assim como podem abrigar o perigo para que crianças venham a brincar no local e se machucarem em peças enferrujadas ou até mesmo em vidros.
   Observa-se na foto o esgoto ao "céu aberto", ao qual tem sua continuidade na foto abaixo.
   Uma ponte para abrigar esgoto, mau cheiro e ainda lixo eletrônico entre outros entulhos e lixos abandonados por ali também, em plena área urbana de nosso município.
   Quem fiscaliza?

   Nos novos prédios dos condomínios que estão em construção às margens da ciclovia, justamente nas proximidades do Quartem Militar, encontra-se alguns canos abertos ao qual, acredito eu, ainda não finalizada a obra, desaguam resíduos de água diretamente no canteiro da ciclovia, esta que poderia ser tratada como um jardim, e não como um simples canteiro lateral.

   Local de travessia de pedestre e ciclistas, a ligação entre a ciclovia atravessa a Rua Padre Abílio Esponchiado, onde não há sinalização alguma alertando os motoristas sobre tal travessia, já que os tachões que alertavam tal travessia, foram retirados. A implantação de uma faixa de segurança elevada, seguindo as normas corretas, seria uma das alternativas com maior durabilidade para a região.








O ANTES e o DEPOIS de um dos pontos históricos de nosso município.

   As Caieiras, antiga produtora de cal da região é patrimônio tombado pelo município e está localizada no bairro Estrela D’Alva, que segundo o próprio prefeito municipal, Sr. Dudu Colombo, o "Local é de elevado valor histórico para Bagé", porém encontra-se em total abandono e descaso, não só pela gestão municipal, mas também por quem ali descarta resíduos e entulhos.

Agosto de 2013

Junho 2015

Comentário de Cristian Pimenta Becker:
Bagé campeão de ciclovias do Estado? Mas não é de qualidade! É disso que estamos falando ciclo aterro de lixo da Alameda Pedro Coll Leite... O discurso da mobilidade urbana é bem diferente da ação! Um dos nossos principais roteiros turístico do município encontra-se em péssimo estado de conservação! A Nossa voz está mais forte a cada dia. Obrigado Ver. Edimar Fagundes Cardosocontamos com o seu apoio!
Postagem do Vereador Edimar Fagundes Cardoso, em sua rede social:
Edimar Fagundes Cardoso adicionou 15 novas fotos ao álbum: Visita na Ciclovia Pedro Coll Leite. Leite, situada no Antigo Leito da Viação Ferréia. Juntamente com o Presidente Heron Regert e o Cicloativista Cristian Becker, onde verificou a existência de um processo de degradação ambiental na ciclovia, ao longo do entorno havia descarte inadequado de (lixo), resíduos sólidos, além da presença de resíduos de construção cívil e vestigios de queimadas, de vegetação arbóreas e arbustivas. Salienta-se que este local é um dos principais acessos de deslocamento da população sentido bairro centro. Além do mais é um roteiro turistíco do município.